Quando você consegue acumular algum dinheiro ao fim do mês, é a hora de escolher um investimento, afinal, dinheiro parado nunca é uma boa ideia. Porém, são inúmeras as opções oferecidas pelo mercado e cada uma delas tem vantagens e desvantagens.

Por mais que você tenha feito um planejamento, definido objetivos e criado uma estratégia, nem sempre é fácil decidir exatamente quais são os investimentos ideais.

Pensando nisso, resolvemos listar os 6 principais fatores que você deve analisar ao escolher um investimento. Todos os tipos de investimentos possuem esses atributos, portanto, vale a pena atentar-se a cada um deles antes de apostar suas fichas.

 

6 principais fatores para checar ao escolher um investimento

 

1- Liquidez

Se formos definir da forma mais simples possível, a liquidez seria a capacidade de converter aquele investimento em dinheiro. Ou seja, estamos falando da rapidez com a qual você consegue desfazer de um ativo para receber o dinheiro em mãos.

O que isso significa na prática? Por exemplo, existem investimentos que tem liquidez diária. Nesse caso, a qualquer momento você pode sacar o seu dinheiro. Por outro lado, existem títulos que a liquidez é definida para o vencimento do papel. Ou seja, você só poderá sacar o dinheiro depois de uma data estipulada, que pode ser meses ou anos à frente.

É muito importante analisar a liquidez de acordo com seus objetivos de vida. Por exemplo, se você está guardando dinheiro para fazer uma viagem daqui a 2 anos, você não pode colocar todas as suas economias em um investimento com liquidez de 5 anos. Afinal, quando chegar a época da viagem, você ainda não poderá resgatar o valor investido (ou resgatará com prejuízo).

 

2- Risco

O risco está relacionado com a incerteza do retorno sobre o investimento. Em alguns investimentos é possível que a rentabilidade seja abaixo do esperado ou que você até perca uma parte do capital investido.

Todo investimento possui algum tipo de risco, ainda que em alguns deles esse risco seja praticamente nulo (dependeria da instituição financeira falir, por exemplo).

Como você deve imaginar, investimentos mais suscetíveis a riscos geralmente estão associados possibilidade de maior rentabilidade. Pense em ativos de renda variável, como ações ou até criptomoedas. Há um risco maior, já que o preço dos papéis pode cair e você pode perder dinheiro. Ao mesmo tempo, o valor pode subir e te trazer uma rentabilidade que você nunca conseguiria em um investimento de renda fixa.

 

3- Rentabilidade

A rentabilidade é o retorno que um determinado investimento oferece durante um período. Ou seja, é quanto você ganhará de fato por colocar o seu dinheiro ali.

No caso de investimentos de renda variável, é impossível garantir qual será o seu retorno. Por isso, geralmente o valor apresentado é a rentabilidade dos últimos 6 ou 12 meses para que o investidor tenha uma ideia de como aquele ativo está se valorizando.

Embora seja o atributo que mais chama a atenção na hora de escolher um investimento, é importante que a rentabilidade sempre seja analisada ao lado de outros fatores, como risco e liquidez. Isso porque ela por si só diz muito pouco. Um investimento com alta rentabilidade geralmente está associado a altos riscos e/ou baixa liquidez. Por isso, sempre leve outros fatores em consideração.

 

4- Capital Inicial

Todos os tipos de investimentos possuem um valor mínimo para você colocar seu dinheiro ali. Ou seja, existe um capital inicial que você precisa ter para entrar em cada investimento.

Esse valor varia bastante: existem investimentos cujo valor mínimo é de R$1 enquanto outros só permitem o mínimo de R$1 milhão. Aqui na Ignis, por exemplo, o valor mínimo de entrada é R$100. Com essa quantia você já tem os nossos especialistas cuidando do seu dinheiro para buscar a maior rentabilidade possível com o trade de criptomoedas.

 

5- Tributação

Quase todos os investimentos estão acompanhados por uma tributação. Geralmente, existe a cobrança de Imposto de Renda, que está atrelada ao rendimento que você obtém com aquele investimento.

Fique atento também com taxas que podem ser feitas pelas instituições financeiras. As principais delas são:

  • Taxa de performance: uma proporção do seu rendimento, cobrada pelo serviço de gestão do seu investimento.
  • Taxa de administração: cobrada pelo serviço de administração do seu investimento.
  • Taxa de custódia: cobrada pelo serviço de guarda do seu dinheiro.
  • Taxa de corretagem: cobrada pelo serviço de compra e venda de ativos.
  • Taxa de carregamento: cobrada sobre o valor de cada depósito realizado no investimento.

 

6- Tipo de Investimento

Você sabe qual é a diferença de renda fixa para renda variável? Conhece os significados das siglas CDB, LCI, LCA, RDB? E os indicadores CDI, SELIC, IPCA?

Existe muita coisa para estudar no mercado de investimentos. Entender exatamente onde você está colocando o seu dinheiro é fundamental para não se frustrar com sua estratégia. Portanto vale a pena estudar um pouco sobre cada tipo de investimento e descobrir quais são os fatores que trazem a rentabilidade que você está procurando.

Essa análise vai te ajudar a fazer investimentos cada vez melhores e mais adequados ao seu perfil.

 

Portanto, vale a pena estudar todos esses fatores antes de colocar seu dinheiro em qualquer investimento. Agende uma conversa no Whatsapp com nossos especialistas e veja como a Ignis se comporta em cada um desses atributos!